domingo, 9 de agosto de 2020

Material de Leitura – Introdução ao uso de materiais didáticos na séries iniciais

Fonte confiáveis para pesquisa e utilizados nestes texto:

·         www.webgeo.net.br;

·         https://edocente.com.br/importancia-do-livro-didatico-na-pratica-pedagogica/ 







O livro didático ainda é o recurso mais utilizado pelos professores da educação básica, embora não seja o único. O acesso ao livro didático é um direito do aluno da educação básica no Brasil, garantido por diversos dispositivos legais, como a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e vários outros decretos, portarias e resoluções do Ministério da Educação (MEC).  

Só em 2019 foram distribuídos mais de 126 milhões de livros didáticos que beneficiaram mais de 35 milhões de alunos em todo o país, segundo dados do Fundeb. Isso se deve, principalmente, devido às políticas de distribuição gratuita para escolas públicas conquistadas pelo Plano Nacional do Livro Didático (PNLD), criado em 1985. 

Devido a sua presença em praticamente todas as escolas públicas brasileiras, o livro didático ainda é a principal ferramenta utilizada no processo de ensino e aprendizagem. Neste artigo, vamos falar mais detalhadamente sobre a importância do livro didático na prática pedagógica e como fazer dele um aliado no dia a dia da sala de aula. 

 

LIVRO DIDÁTICO E A SUA IMPORTÂNCIA NA PRÁTICA PEDAGÓGICA

 Mais do que uma simples ferramenta, o livro didático é um importante parceiro do professor na hora de ensinar e do aluno na hora de aprender.  

Os Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental (PCN) também destacam a importância do livro didático: 

 

“O livro didático é um material de forte influência na prática de ensino brasileira. É preciso que os professores estejam atentos à qualidade, à coerência e a eventuais restrições que apresentem em relação aos objetivos educacionais propostos. Além disso, é importante considerar que o livro didático não deve ser o único material a ser utilizado, pois a variedade de fontes de informação é que contribuirá para o aluno ter uma visão ampla do conhecimento.”

 

Acesso a recursos pedagógicos

 Grande parte dos alunos da educação básica brasileira encontram no livro didático o único acesso ao conhecimento. De acordo com dados do Censo Escolar 2017, mais de 80% dos professores da rede pública ainda utilizam esse recurso em sala pelo menos uma vez por semana. 

Segundo Marcelo D’Aquino Rosa, doutor em Ensino de Ciências e Matemáticas pela Unicamp: 

 

 “O livro didático pode ter erros conceituais, pode ter abordagens metodológicas não muito boas para trabalhar alguns assuntos, mas tem que se pensar na realidade brasileira de diferenças e pouco acesso a outros recursos, por isso ele ainda é um mal necessário.”

 Como o livro didático ainda é o único recurso para muitos professores e alunos, ele precisa ser bem trabalhado para que se possa aproveitar ao máximo seus benefícios.  

Formação de professores 

O livro didático ainda é elemento formador do professor. Para professores sem formação em licenciatura ou sem muita experiência, o livro acaba servindo como principal guia no seu plano de aula, pois dá mais segurança e define um caminho lógico na jornada que pretende trilhar com seus alunos. 

Ajuda na prática pedagógica diária 

A importância do livro didático nas práticas pedagógicas também se dá porque ele ajuda no planejamento de aulas pelos professores. Os professores, no geral, utilizam o livro didático principalmente para: 

· A preparação de suas aulas, 

· O planejamento anual e  

· Preparar provas e avaliações. 

Geralmente, o Manual do Professor da coleção de livros escolhidos traz as bases teóricas e as concepções de ensino que inspiraram seu desenvolvimento e sugestões e orientações didáticas que o professor pode implantar em sala de aula. O desafio, portanto, é saber como utilizá-lo de forma estratégica durante as aulas. 

 COMO USAR O LIVRO DIDÁTICO NA SALA DE AULA

 O livro didático não deve ser usado de qualquer forma. É importante que o professor planeje como ele será utilizado, para que ele não engesse seu plano de aula ou retire sua autonomia enquanto educador, mas que sirva de ferramenta para suportar suas práticas pedagógicas. 

Adapte o livro ao discurso e à realidade local de cada escola 

Os livros didáticos não são elaborados pelas editoras pensando em dar conta da variedade de discursos e até mesmo de currículo presentes nas escolas brasileiras, ainda mais considerando o tamanho geográfico do país, sua diversidade cultural e diferenças sociais. 

Portanto, é importante que, mesmo após selecionar os livros que serão utilizados na escola, os professores adaptem os conteúdos e os conceitos presentes no material para a realidade escolar e para a filosofia que utiliza no seu processo de ensino. 

Adeque o livro à realidade de cada turma 

O professor não deve utilizar o livro didático da mesma forma em todas as turmas em que atua. Sua tarefa é compreender as necessidades de cada uma e adaptar seu uso. Enquanto algumas turmas precisam de mais leituras dos conteúdos do livro, outras podem usá-lo mais para fazer exercícios.  

Como o professor possui contato direto com cada turma e cada aluno, ele está mais apto a identificar essas necessidades e atuar conforme elas. Se for preciso, é interessante recorrer à coordenação pedagógica da escola, para ela possa dar suporte a esse processo de adaptação, ou mesmo a outros professores da mesma turma. 

 

Amolde o livro para cada aula

 Mesmo que cada escola e turma exija usos diferenciados de cada livro, cada aula também apresentará necessidades de uso diferente de cada livro em cada disciplina. É necessário, portanto, adaptar o uso do livro ao que foi planejado no plano de aula do dia, mesmo que seja necessário pular alguns exercícios, inverter a ordem dos conteúdos etc. O professor é o responsável por determinar como o livro será utilizado na sua aula e não o contrário. 

Se a aula exige melhor compreensão de conceitos, a utilização do livro didático deve ser planejada para este fim: o professor pode promover leituras coletivas, rodas de conversa com base nas leituras dos conceitos, utilizar as imagens e recursos gráficos presentes no livro para ilustrar o conceito etc. 

 

Incentive o uso fora de sala de aula

 Como alguns alunos só têm o livro como material didático, é importante que o professor preveja atividades extraclasse em que os estudantes utilizem o livro didático e o percebam como extensão da escola e de seu processo de aprendizagem. 

Nesse caso, o professor pode selecionar partes dos conteúdos do livro que considere complementar ao principal tema da aula para que os alunos estudem fora de sala e preparem algum trabalho para entregar na aula seguinte ou apresentar para o restante da turma.

  

ENTENDA O QUE É LIVRO DIDÁTICO

 O livro didático são livros utilizados nas matérias da escola e que servem para dar suporte ao processo de ensino e aprendizagem. Segundo os belgos Gérard e Roegiers, o livro didático é “um instrumento impresso, intencionalmente estruturado para se inscrever num processo de aprendizagem, com o fim de lhe melhorar a eficácia”. 

CONCLUSÃO

 O livro é aliado tanto do professor quanto do aluno, mas não deve ser o fator determinante nem do planejamento da escola nem do plano de aula do professor. Pelo contrário: o ideal é adaptar seu uso conforme a necessidade do currículo, da escola, da turma e de cada aula. 

Por fim, o livro didático ainda é muito importante na realidade da educação básica brasileira e sua função vai muito além do que servir apenas como instrumento de ensino, mas é também ferramenta fundamental na formação da cidadania dos estudantes. 

Para fazer um bom uso do livro didático, é fundamental que o professor se mantenha atualizado. Baixe gratuitamente a edição de 2019 do Caderno Pedagógico e confira alguns detalhes sobre as novidades trazidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui...