Postagens em destaque!

quinta-feira, 14 de abril de 2016

O jogo sem fim "No Man's Sky" e seus 18 quintilhões de planetas!

Sim, leitor! Estamos falando de um jogo que não pode ser finalizado, e possivelmente ao jogar, não encontrará animados combates ou colegas lhe ajudando em alguma mirabolante missão.

No Man's Sky, é um jogo desenvolvido para realmente não ser concluído, afinal, são 18 quintilhões de "mundos" para serem explorados. Mesmo com estas assustadoras características não deixa de ser um belo jogo, com aspectos bem próprios.

Sabemos que a Astronáutica e Astronomia são fascinantes, portanto a exploração de novos mundos com vida ou condições hostis é sempre bem vinda para definitivamente respeitarmos a realidade plena e m que vivemos, vendo alguns vídeos do jogo posso afirmar que somos sortudos!

Abaixo deixo algumas informações e curiosidades retiradas de alguns sites em que pesquisei sobre este jogo sem fim!

Segundo tecmundo, temos as seguintes características:
  • Durante a aventura é possível encontrar tecnologias alienígenas escondidas ou abandonadas. 
  • Ao utilizar certos materiais extraídos dos planetas, você poderá melhorar a nave, arma e traje para ter acesso a mais conteúdo
  • Jogadores que decidirem por uma rota mais agressiva ao atacar a vida selvagem dos planetas ou extraírem recursos excessivamente, terão que lidar com uma espécie de polícia espacial: os Sentinelas. 
  • Um ponto curioso é que os Sentinelas protegem vários planetas, porém isso não significa que estejam em todos. Conforme você tem acesso a locais mais isolados, poderá encontrar planetas sem qualquer supervisão, nos quais poderá fazer o que quiser sem consequências.
Fotos do jogo:

Vídeo do jogo:



sexta-feira, 8 de abril de 2016

Sua significância diante da imensidão do universo

E aí, deseja saber seu tamanho e significância diante da imensidão do universo? O WebGeo mostra pra vocÊ!

Clique no link abaixo e confira um site com a escala dos maiores e menores itens/objetos encontrados no universo e descritos pelos humanos.

Há mais descobertas por vir? O tempo irá dizer!

Clique no seguinte link!