Postagens em destaque!

domingo, 13 de abril de 2014

Taxas e índices populacionais - Materiais adicionais para avaliação.

Como prometido em sala de aula, temos aqui nesta postagem um breve resumo de todos os conceitos trabalhados em sala de aula durante esta semana, e que são parte introdutória do nosso próximo conteúdo, “Brasil, características populacionais e índices sociais.
Recomendo a todos que também baixem os slides abaixo, eles são os principais materiais utilizados em sala de aula.

Slide 1: Clique para fazer o download. (Formação da população brasileira)


Slide 2:Clique para fazer o download.(População brasileira)

                             
    Slide 3:Clique para fazer o download.(Indicadores sociais da população brasileira)
 Slide sobre indicadores sociais - IBGE - 2012-2013


Taxa de fecundidade:
“A taxa de fecundidade consiste em uma estimativa do número médio de filhos que uma mulher tem ao longo da vida. Nesse sentido, esse indicador expressa a condição reprodutiva média das mulheres de um determinado local, sendo um dado importantíssimo para a análise da dinâmica demográfica.

Comentário: Participam desta taxa mulheres entre 14 e 49 anos de idade, e no Brasil, chegamos a ter taxas acima de 6, ou seja, tivemos na década de 1940 uma média de 6,2 filhos por mulher.


Taxa de natalidade:
É a relação entre o número de nascimentos ocorridos em um ano e o número de habitantes. Obtemos essa taxa tomando os nascimentos ocorridos durante um ano, multiplicando-se por 1000 e dividindo o resultado pela população absoluta. 

Comentário: Não podemos esquecer que a natalidade é calculada a partir de um grupo de 1.000 habitantes.


Taxa de mortalidade:
É a relação entre o número de óbitos ocorridos em um ano e o número de habitantes. Obtemos essa taxa tomando os óbitos ocorridos durante um ano, multiplicando-os por 1000 e dividindo o resultado pela população absoluta.
Comentário: Não podemos esquecer que a taxa de mortalidade é calculada a partir de um grupo de 1.000 habitantes.


Taxa de mortalidade infantil:
A taxa de mortalidade infantil é obtida por meio do número de crianças de um determinado local (cidade, região, país, continente) que morrem antes de completar 2 anos, a cada mil nascidas vivas. Esse dado é um aspecto de fundamental importância para avaliar a qualidade de vida, pois, por meio dele, é possível obter informações sobre a eficácia dos serviços públicos, tais como: saneamento básico, sistema de saúde, disponibilidade de remédios e vacinas, acompanhamento médico, educação, maternidade, alimentação adequada, entre outros.

Taxa de longevidade:
Numa dada população, expectativa de vida à nascença ou expectativa de vida é o número médio de anos que um indivíduo pode esperar viver, se submetido, desde o nascimento, às taxas de mortalidade observadas no momento (ano de observação). É calculada tendo em conta, além dos nascimentos e obituários, o acesso a saúde, educação, cultura e lazer, bem como a violência, criminalidade, poluição e situação econômica do lugar em questão. Também é o número de anos que em média, uma pessoa terá probabilidade de viver
Fonte: www.dicio.com.br/longevidade/
Crescimento Vegetativo

Crescimento vegetativo ou natural é a diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade de um determinado local ou país geralmente expressa em porcentagem.
Segundo a teoria da transição demográfica que defende que a transição da sociedade pré-industrial para a pós industrial percorre três ou quatro fases distintas (de acordo com a classificação), o crescimento da população oscilaria de acordo com estas fases, variando com ele a taxa de crescimento vegetativo.


Bônus:
Evolução dos dados referentes à mortalidade infantil no Brasil.
 

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Projeções cartográficas - Slides utilizados em sala de aula - 1º anos STS

Olá, pessoal!

Conforme combinado em sala de aula, seguem os links dos slides que vimos em sala de aula, lembre-se que este material de apoio é essencial para os estudos a distância, e que logo logo teremos nossa prova bimestral, esta que terá foco principalmente na temática "Projeções cartográficas".

Aproveitem o material e bons estudos!

Link slide 1:
https://www.dropbox.com/s/p35vk8wo9cyvz3r/Proje%C3%A7%C3%B5es%20cartgr%C3%A1ficas%20-%202.pptx

Link slide 2:
https://www.dropbox.com/s/inlcyt40hz8iqv5/Proje%C3%A7%C3%B5es%20cartogr%C3%A1ficas%20-%201.ppt

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Orientação e localização geográfica - Coordenadas Geográficas


Para chegar a um determinado lugar pela primeira vez é preciso ter referências ou o endereço, isso no campo ou na cidade, no entanto, nem sempre temos em nossas mãos instrumentos ou informações para a orientação. Em áreas naturais como as grandes florestas, desertos e oceanos não têm placas ou endereços para informar qual caminho se deve tomar. 

Nessas circunstâncias temos duas opções para nos orientar, que são pelos astros ou por instrumentos. 

O primeiro tem sua utilização difundida há muito tempo, principalmente no passado quando pessoas que percorriam grandes distâncias se orientavam por meio da observação do sol, da lua ou das estrelas, apesar de que não possui a mesma precisão dos instrumentos esse tipo de recurso pode ser bem aproveitado dependendo da ocasião. 


Até nos dias atuais pequenas embarcações desprovidas de equipamentos de orientação fazem o uso dos astros para se localizar e orientar. Nos grandes centros urbanos parte deles ou mesmo um conjunto de bairros são chamados de zona oeste, zona leste e assim por diante, as pessoas se orientam sem estar munidas de bússola, basta saber que o sol nasce leste para se localizar. 


Já no caso da orientação por instrumentos foram criados diversos deles com objetivo de tornar o processo mais dinâmico e preciso. Dentre vários instrumentos inventados o mais utilizado é a bússola, esse corresponde a um objeto composto por uma agulha com imã que gira sobre uma rosa-dos-ventos. 

A bússola é instalada em aviões, navios e carros e motos de competição de rally, isso para manter as pessoas em sua devida direção pretendida. 


Apesar da importância da bússola até os dias de hoje, existem aparelhos de orientação mais eficientes, geralmente orientados por sinais de radar ou satélites, devido a isso conseguem emitir informações de qualquer ponto da Terra, tais como altitude, distâncias, localização entre outras.
Todas as informações citadas acima referem-se a regiões um tanto quanto restritas. O planeta Terra possui uma superfície de 510 milhões de quilômetros quadrados, devido esse imenso espaço a localização se torna mais complexa, dessa forma o homem criou linhas imaginarias para facilitar a localização, os principais são os paralelos e latitudes e meridianos e as longitudes. 
As coordenadas geográficas

Os paralelos são linhas imaginarias que estão dispostas ao redor do planeta no sentido horizontal, ou seja, de leste a oeste. O paralelo principal é chamado de Linha do Equador que está situado na parte mais larga do planeta, a partir dessa linha tem origem ao hemisfério sul e o hemisfério norte. Existem outros paralelos secundários mais de grande importância como Trópico de Câncer, O Trópico de Capricórnio, o Circulo Polar Ártico e o Circulo Polar Antártico. 

As latitudes são medidas em graus entre os paralelos, ou qualquer ponto do planeta até a Linha do Equador, as latitudes oscilam de 0º Linha do Equador e 90º ao norte e 90º ao sul.

Meridianos correspondem a semicircunferências imaginarias que parte de um pólo até atingir o outro. O principal meridiano é o Greenwich, esse é o único que possui um nome especifico, esse é utilizado como referência para estabelecer a divisão da Terra entre Ocidente (oeste) e Oriente (leste). 

As longitudes representam o intervalo entre os meridianos ou qualquer ponto do planeta com o meridiano principal. As longitudes podem oscilar de 0º no meridiano de Greenwich até 180º a leste e a oeste.

Através do conhecimento da latitude e longitude de um lugar é possível identificar as coordenadas geográficas, que correspondem a sua localização precisa ao longo da superfície terrestre. A partir dessas informações a definição de coordenadas geográficas são medidas em graus, minutos e segundos de pontos da Terra localizadas pela latitude e longitude.