Postagens em destaque!

terça-feira, 26 de março de 2019

Os ciclos econômicos do Brasil!

O Brasil possui, ao longo de sua história, diferentes ciclos econômicos como edificadores da formação da identidade nacional, econômicas e social. Diante deste tema tão importante, deixo o artigo a seguir, composto por informações retiradas de sites plenamente confiáveis, com texto totalmente verificado!

Deixo também uma apresentação de slides bastante interessante e concisa sobre o tema, sempre abordado em concursos, e no próprio ENEM, pois todos os cilos influenciaram diretamente na dinâmica territorial do Brasil!

Referências para esta postagem: 

Ciclo do Pau-Brasil

Período: entre 1500 e 1530
Principais características:
- Os portugueses cortavam a árvore pau-brasil para comercializar a madeira na Europa. Esta atividade ocorria na região da Mata Atlântica, principalmente na costa Sudeste, Sul e Nordeste do Brasil. Houve utilização de mão de obra indígena, através do escambo (troca do trabalho indígena por produtos de pouco valor).

Ciclo do Açúcar

Período: segunda metade do século XVI até o final do século XVII.

Principais características:
- Instalação de engenhos de açúcar na região Nordeste do Brasil. Os senhores de engenho plantavam a cana-de-açúcar para produzir e exportar o açúcar para a Europa. Foi utilizada a mão de obra escrava africana nos engenhos.

Ciclo do Ouro

Período: século XVIII

Principais características:
- O eixo econômico mudou do Nordeste para o Sudeste, logo após o início da exploração das minas de ouro, principalmente, em Minas Gerais. Os donos das minas utilizaram a mão de obra escrava africana para os trabalhos pesados. Muitos donos de minhas enriqueceram nesse período e a Coroa Portuguesa arrecadou grandes cifras em impostos sobre o ouro encontrado.

Ciclo do Algodão

Período: do século XVIII até o começo do XIX.

Principais características:
- Produção de algodão em estados como Pernambuco, Bahia, São Paulo e Ceará. A produção estava voltada para o mercado externo, principalmente Europa e Estados Unidos. Esta matéria-prima estava relacionada ao desenvolvimento industrial, principalmente da indústria fabril, nestes locais.

Ciclo da Borracha

- Período: final do século XIX e início do XX.

Principais características:
- A borracha foi produzida na região amazônica, pois o látex era extraído das seringueiras (em grande quantidade na região). A produção era voltada para os EUA e Europa, para abastecer a demanda de borracha da indústria de pneus de automóveis, além de outros produtos industrializados.

Ciclo do Café

Período: de 1870 até o início do século XX

Principais características:
- A cultura do café se desenvolveu, principalmente, na região do Oeste Paulista. As grandes fazendas de café utilizaram mão de obra escrava africana (até 1888) e mão de obra imigrante (principalmente italiana). Os “barões do café”, como ficaram conhecidos os grandes fazendeiros, enriqueceram muito com a exportação do produto para a Europa e Estados Unidos, principalmente. O acúmulo de capital neste período foi de grande importância para os investimentos em indústrias realizados nas primeiras décadas do século XX.





















terça-feira, 19 de março de 2019

Orientação e localização no espaço geográfico!

A orientação é fundamental para os seres humanos, e como todos sabem, elementar na Geografia. Diante da missão de alfabetizar e consolidar o processo de alfabetização cartográfica, deixo aqui alguns fragmentos importantes sobre o tema, repercutindo diretamente os primórdios das práticas que incidem diretamente sobre o ato do ser humano localizar-se no espaço geográfico.


Referências para a construção desta postagem:
História
O primeiro tem sua utilização difundida há muito tempo, principalmente no passado quando pessoas que percorriam grandes distâncias se orientavam por meio da observação do sol, da lua ou das estrelas, apesar de que não possui a mesma precisão dos instrumentos esse tipo de recurso pode ser bem aproveitado dependendo da ocasião. 
Até nos dias atuais pequenas embarcações desprovidas de equipamentos de orientação fazem o uso dos astros para se localizar e orientar. Nos grandes centros urbanos parte deles ou mesmo um conjunto de bairros são chamados de zona oeste, zona leste e assim por diante, as pessoas se orientam sem estar munidas de bússola, basta saber que o sol nasce leste para se localizar. 

Orientação pelo Sol e pela Lua


Há muito tempo as pessoas utilizam os astros para se orientar, sendo o Sol o mais empregado.
Sol é a estrela mais próxima da Terra, nosso planeta. É a energia do Sol que ilumina e aquece a Terra. Sem o Sol, seria impossível a vida em nosso planeta.
Para você se orientar pelo Sol, precisa saber onde ele aparece ou desaparece todos os dias.
A direção em que o Sol aparece todos os dias chama-se leste ou este, ou nascente ou oriente.
A direção em que o Sol desaparece todos os dias chama-se oeste ou poente ou ocidente.
Sabendo onde estão o leste e o oeste, você pode olhar as direções que faltam: sul norte.
É importante destacar que o Sol não nasce exatamente no mesmo ponto todos os dias do ano. Existe uma pequena variação, de acordo com as estações do ano (como no inverno e no verão).
Menino se orientando pelo sol.
  • Estenda ou estique o braço direito na direção leste.
  • Estenda ou estique o braço esquerdo na direção oeste.
  • Às suas costas estará o sul.
  • À sua frente estará o norte.
Para nos orientarmos pela Lua, procedemos da mesma maneira, pois a Lua também nasce a leste e se põe a oeste.

Orientação pelo Cruzeiro do Sul

O Cruzeiro do Sul é uma constelação formada por cinco estrelas principais com o formato de uma cruz. A estrela que se encontra na extremidade inferior da cruz é a Estrela de Magalhães e indica o sul, por meio do qual se podem encontrar os outros pontos cardeais.
Menina se orientando pelo cruzeiro do sul

Orientação pela bússola

A bússola é um meio de orientação muito utilizado.
Ela é um instrumento com formato de relógio, possuindo uma rosa dos ventos no interior e uma agulha imantada, no lugar dos ponteiros, que aponta sempre para o norte.
A bússola é um meio de orientação

Rosa dos ventos

Quando você estiver localizando os elementos de sua escola, ou de outro ambiente qualquer, talvez sinta alguma dificuldade em apontar a direção exata de alguns deles. Como resolver essa dificuldade?
Por meio dos pontos colaterais. Eles também são quatro e estão situados entre os pontos cardeais.
Veja:
Roda dos Ventos
São pontos colaterais:
  • o nordeste (NE), entre o norte e o leste;
  • o sudeste (SE), entre o sul e o leste;
  • o sudoeste (SO), entre o sul e o oeste.
  • o noroeste (NO), entre o norte e o oeste.
Os pontos cardeais e os pontos colaterais são as mais importantes direções da rosa dos ventos.
Ao procurar uma direção, você deve sempre se imaginar no centro da rosa dos ventos.

Os pontos cardeais

Pontos cardeais são pontos principais ou pontos fundamentais. Eles são os mais importantes pontos de orientação.
Os pontos cardeais nos permitem dar uma ordem ao espaço terrestre. Este espaço pode ser bem pequeno, como o seu quarto, sua casa ou sua escola. Mas também pode ser grande como a sua cidade.
Pode ser um espaço maior, como a região em que se encontram sua cidade e todas as cidades vizinhas, bem como todo o seu Estado ou nosso país. E maior ainda, como um continente ou todos os continentes juntos e mais os oceanos, isto é, como o planeta Terra.
Saiba mais: Pontos cardeais + pontos colaterais = rosa dos ventos.

sexta-feira, 8 de março de 2019

Os movimentos da Terra!

Com a proximidade do período de avaliações, se faz necessário revisar alguns itens referentes ao movimentos da Terra! Para tornar esta revisão movimentada, além dos slides exibidos em sala de aula, deixo aqui algumas definições retiradas de alguns sites confiáveis, e devidamente referenciados ao fim  da postagem!

Há, também registro um vídeo sobre Solstícios e Equinócios, gravei em 2018, também pode dar uma ajuda! 


Rotação

Rotação é o movimento onde a Terra gira em torno de seu próprio eixo. Esse movimento acontece no sentido anti-horário e dura exatamente 23 horas 56 minutos 4 segundos e 9 centésimos para ser concluído, sendo o responsável por termos o dia e a noite.
Quando um lado do planeta está para o lado do sol, é dia, e, consequentemente, do lado oposto é noite. Sem o movimento da Rotação não haveria vida na Terra, já que este movimento desempenha um papel fundamental no equilíbrio de temperatura e composição química da atmosfera.
O movimento de rotação da Terra ocorre de oeste para leste, ou seja, a porção Leste vê o nascer do sol primeiro que o Oeste. Como exemplo podemos citar o Brasil e o Japão, onde a diferença de fusos horários é exatamente 12 horas. Deste modo, quando no Japão são 6h da manhã, no Brasil são 6h da tarde.

Translação 
É o movimento elíptico que a Terra executa ao redor do sol, com uma duração de 365 dias, 5 horas e 48 minutos em uma velocidade de 107.000 km/h. Quando a Terra termina uma volta completa em relação ao sol, dizemos que se passou um ano. A principal consequência desse movimento é a origem das estações do ano, que ocorrem pelo fato de o eixo do planeta apresentar uma inclinação de 23º27', ocasionando a sucessão dos solstícios e dos equinócios.
O movimento de translação também é chamado de revolução.

Movimento de translação terrestre
Além desses dois movimentos principais, a Terra possui outros três importantes movimentos que não possuem uma influência muito notória sobre a humanidade, mas que são importantes por originarem outros movimentos. Essas variações são a precessão, a nutação e o deslocamento do periélio.
precessão – ou precessão dos equinócios – é o movimento giratório realizado pela projeção de eixo de rotação terrestre no sentido horário, com uma duração cíclica de 25.770 anos. A principal consequência é a antecipação dos equinócios e a mudança da posição aparente dos astros celestes no céu.
nutação é uma pequena variação periódica no eixo rotacional terrestre que ocorre a cada 18,6 anos em função da influência da gravidade da Lua sobre a Terra. Não há consequências relevantes.
deslocamento do periélio é a variação da órbita terrestre ao redor do sol. Como sabemos, o periélio é o ponto da órbita em que o planeta encontra-se mais próximo ao corpo solar. Assim, essa diferença varia ao longo do tempo em função da influência da órbita de outros planetas, com uma repetição cíclica de 21 mil anos.
























Sites Utilizados:

quinta-feira, 7 de março de 2019

Espaçonave Terra! Já ouviu falar desta série?

Que tal viajar em uma série capaz de desvendar os mistérios envolvendo os acontecimentos astronômicos decorrentes em um ano? Sim, há uma série, já bastante antiga, da Fantome, empresa francesa, capaz de surpreender qualquer amante de astronomia!

Um breve release disponibilizado pela USP:

Espaçonave Terra (Tous Sur Orbite, no original francês) é uma série de televisão produzida na França cuja proposta é de, através de animação computadorizada, acompanhar a trajetória do planeta Terra durante uma translação ao longo das 52 semanas, ou seja, de um ano terrestre. No Brasil, a série foi exibida pela TV Escola. Como o programa é Europeu, é fato que as demonstrações feitas neste programa é em função do hemisfério norte!

Descrição da série:

A proposta desta série, realizada em animação computadorizada, é acompanhar a trajetória do planeta durante uma translação completa, ou seja, um ano. Relacionando movimentos celestes com o nosso dia-a-dia, como por exemplo, a relação da luz solar com as estações do ano e a relação das fases da lua com o fenômeno das marés,calendário Juliano e Gregoriano,ano bissexto, etc. Esta série contém 52 episódios, cada um representa o céu observado em uma semana. Este programa foi feito com observações do ano de 1997.

Disponível em: 

O melhor de tudo isso, é acompanhar esta fabulosa série pelo youtube, com episódios leves, não ultrapassando os 10 minutos.

Semana 01! Essencial!

sexta-feira, 1 de março de 2019

Dinâmica populacional brasileira


Produzido a partir de: 

A população brasileira passou por intensas transformações nas últimas décadas, inclusive oscilando muito em termos de crescimento, com seu ápice entre 1940 e 1960. Atualmente as taxas de crescimento mostram-se estáveis, com uma população cada vez mais velha, com aumento exponencial da expectativa de vida, devido as melhores condições sanitárias e acesso à saúde.

Em razão do constante aumento populacional ocorrido no Brasil, principalmente a partir da década de 1960, intensificando-se nas últimas décadas, o país ocupa hoje a quinta posição dos países mais populosos do planeta, ficando atrás apenas da China, Índia, Estados Unidos e Indonésia. De acordo com dados do Censo Demográfico de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população brasileira atingiu a marca de 190.755.799 habitantes.

crescimento populacional de um determinado território ocorre através de dois fatores: a migração e o crescimento vegetativo, esse último é a relação entre as taxas de natalidade e as de mortalidade. Quando a taxa de natalidade é maior que a de mortalidade, tem-se um crescimento vegetativo positivo; caso contrário, o crescimento é negativo; e quando as duas taxas são equivalentes, o crescimento vegetativo é nulo.

No Brasil, o crescimento vegetativo é o principal responsável pelo aumento populacional, já que os fluxos migratórios ocorreram de forma mais intensa entre 1800 e 1950. Nesse período, a população brasileira totalizava 51.944,397 habitantes, bem longe dos atuais 190.755.799. 


Tabela obtida a partir de informações do IBGE.

Nos últimos 50 anos houve uma explosão demográfica no território brasileiro, o país teve um aumento de aproximadamente 130 milhões de pessoas. No curto período de 1991 a 2005, a população brasileira teve um crescimento próximo a 38 milhões de indivíduos. No entanto, acompanhando uma tendência mundial, o crescimento demográfico brasileiro vem sofrendo reduções nos últimos anos. A população continuará aumentando, porém as porcentagens de crescimento estão despencando.

A urbanização, a queda da fecundidade da mulher, o planejamento familiar, a utilização de métodos de prevenção à gravidez, a mudança ideológica da população são todos fatores que contribuem para a redução do crescimento populacional.

Nos anos de 1960, as mulheres brasileiras tinham uma média de 6,3 filhos, atualmente essa média é de 2,3 filhos, que está abaixo da média mundial, que é de 2,6.
Conforme estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística  (IBGE), em 2050, a população brasileira será de aproximadamente 259,8 milhões de pessoas, nesse mesmo ano a taxa de crescimento vegetativo será de 0,24, bem diferente da década de 1950, que apresentou taxa de crescimento vegetativo positivo de 2,40%.
Apesar dessa queda brusca no crescimento vegetativo, a população brasileira não irá reduzir rapidamente, pois a expectativa de vida está aumentando, em virtude do desenvolvimento de novas tecnologias medicinais, além de cuidados e preocupação com a saúde, o que não ocorria com tanta frequência nas décadas anteriores. Ocorrerá, sim, o envelhecimento da população.
Sobre o povoamento no território brasileiro:
Em consequência dos processos de povoamento e sua relação com as atividades econômicas predominantes no decorrer da história do país, temos uma distribuição da população bastante irregular. A densidade demográfica do Brasil varia muito de uma região para a outra e de um estado para o outro.

A quantidade de habitantes por quilômetro quadrado (hab/km²) nos estados da Região Norte é inferior a 6 indivíduos, enquanto nos estados mais industrializados e urbanizados como os da Região Sudeste encontramos densidades demográficas superiores a 360 habitantes por quilômetro quadrado. É o caso do estado do Rio de Janeiro que possui população relativa de 365,23 hab/km² de acordo com dados do Censo 2010.