Pesquise no Webgeo.net e ache tudo sobre História e Geografia!

domingo, 27 de setembro de 2020

Planejamento urbano – Material de leitura

 

Planejamento urbano – Material de leitura

 


Introdução a importância do planejamento urbano – 7º ano - Não há necessidade de devolver, cole em seu caderno e use para estudar!

Objetivo central: Compreender a importância do planejamento urbano no Brasil.

 

Fontes confiáveis utilizadas para a construção do texto:

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO URBANO NO CRESCIMENTO NA CIDADE


O planejamento urbano é o processo de idealização, criação e desenvolvimento de soluções que visam melhorar ou revitalizar certos aspectos dentro de uma determinada área urbana ou do planejamento de uma nova área urbana em uma determinada região, tendo como objetivo principal proporcionar aos habitantes uma melhoria na qualidade de vida. O planejamento urbano, segundo ponto de vista contemporâneo (e, em certa medida, pós moderno), tanto enquanto disciplina acadêmica quanto como método de atuação no ambiente urbano, lida basicamente com os processos de produção, estruturação e apropriação do espaço urbano. A interpretação destes processos, assim como o grau de alteração de seu encadeamento, varia de acordo com a posição a ser tomada no processo de planejamento e principalmente com o poder de atuação do órgão planejador.

Os planejadores urbanos, os profissionais que lidam com este processo, aconselham municípios, sugerindo possíveis medidas que podem ser tomadas com o objetivo de melhorar uma específica comunidade urbana, ou trabalham para o governo ou empresas privadas que estão interessadas no planejamento e construção de uma nova cidade ou comunidade, fora de uma área urbana já existente.

Os planejadores urbanos trabalham tradicionalmente junto das autoridades locais, geralmente, para a municipalidade da cidade ou vila, embora nas últimas décadas tenham se destacado os profissionais que trabalham para institutos municipais, organizações, empresas ou grupos comunitários que propõem planos para o governo. O dia-a-dia de um planejador urbano inclui principalmente melhorias na qualidade de vida dentro de uma certa comunidade. Uma comunidade é vista por um planejador urbano como um sistema, em que todas as suas partes dependem umas das outras.

Uma ideia muito comum, ainda que com certo nível de imprecisão teórica, é a de que os planejadores urbanos trabalhem principalmente com o aspecto físico de uma cidade, no sentido de sugerir propostas que têm como objetivo embelezá-la e fazer com que a vida urbana seja mais confortável, proveitosa e lucros possível. Porém, o trabalho de planejamento envolve especialmente o contato com o processo de produção, estruturação e apropriação do espaço urbano, e não apenas sua configuração a posteriori, como quer a afirmação anterior.

Sob este ponto de vista, os planejadores são atores de um perpétuo conflito de natureza eminentemente política, e por este motivo, seu trabalho não deve ser considerado como neutro. Também precisam prever o futuro e os possíveis impactos, positivos e negativos, causados por um plano de desenvolvimento urbano, os quais muitas vezes favorecem ou contrariam interesses econômicos dos grupos sociais para os quais trabalham.

 

Planejamento Urbano X Urbanismo

 

Uma definição precisa do que seja o Planejamento Urbano necessariamente passa pelo trabalho de localizá-lo, enquanto disciplina, em relação ao urbanismo. Tanto o planejamento urbano quanto o urbanismo são entendidos como o estudo do fenômeno urbano em sua dimensão espacial, mas diferem notadamente no tocante às formas de atuação no espaço urbano. Desta maneira, o Urbanismo trabalha (historicamente) com o desenho urbano e o projeto das cidades,

Em termos genéricos, sem necessariamente considerar a cidade como agente dentro de um processo social conflitivo, enquanto que o planejamento urbano, antes de agir diretamente no ordenamento físico das cidades, trabalha com os processos que a constroem (ainda que indiretamente, sempre atue no desenho das cidades).

O planejamento urbano é atividade, por excelência, multidisciplinar, enquanto que o Urbanismo, ao longo da história, se caracterizou como disciplina autônoma (especialmente do ponto de vista profissional).

Porém, os limites entre o Planejamento e o Urbanismo são pouco claros na prática: intervenções urbanísticas na cidade são comumente tratadas como “obras de planejamento”, enquanto que atividades típicas do planejamento (como a criação de um plano diretor), são eventualmente tratadas como “obras de urbanismo”.

A questão da definição clara e distinta das duas disciplinas complica-se de fato quando se procura a sua história: é um consenso, no meio acadêmico, que o Urbanismo seja tratado apenas como disciplina autônoma a partir do Século XIX e que o Planejamento Urbano surja como matéria de interesse acadêmico apenas no século XX, mas também é fato que as

Cidades são planejadas e desenhadas desde o início da civilização. Desta maneira, a história das cidades (ou da urbanização, para ser mais preciso), ocorre paralelamente com a história do homem em sociedade, embora o estudo da intervenção do homem na cidade seja mais recente. A partir do momento em que se considera que o planejamento urbano lida basicamente com o conjunto de normas que regem o uso do espaço urbano (assim como sua produção e apropriação), sua história seria bastante diversa daquela referente aos desenhos da cidades.

Cidades bem planejadas oferecem igualdade de condições entre áreas centrais e periféricas






Estudos do relevo – Atividades

 

Estudos do relevo – Atividades


Os estudos do relevo –– 1º ano - Não há necessidade de devolver, cole em seu caderno e use para estudar!

Objetivo central: Identificar as principais formas de relevo e suas características geológicas.

 

Olá, pessoal!

Importante que o texto da semana anterior deixado pelo professor seja utilizado para acompanhar a linha de raciocínio dos exercícios abaixo! Boa sorte, e lembre de deixar o material colado em seu caderno!

 

1-Mediante aos nossos estudos sobre o tema, como podemos definir relevo para a Geografia?

R:______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

2-De acordo com o material disponibilizado, o que caracteriza uma montanha? Quais exemplos podemos citar dessa forma de relevo?

R:______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

3- Quais são as principais características da forma de relevo depressão? Exemplifique as diferenças entre depressão absoluta e relativa.

R:______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

4- Quais são as principais diferenças entre planícies e planaltos? De acordo com a análise dos materiais disponibilizados na última aula, qual delas possui mais facilidade para ocupação humana?

R:______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

INTRODUÇÃO AS CARACTERÍSTICAS GERAIS DA POPULAÇÃOASIÁTICA

 GEOGRAFIA – 9º ANO – INTRODUÇÃO AS CARACTERÍSTICAS GERAIS DA POPULAÇÃOASIÁTICA

 

Orientação: Leia o material com atenção e cole em seu caderno – Não é necessário devolver na escola

Objetivo: Identificar as principais características da população do continente asiático.

Dica: Observe os grifos, com destaques em características essenciais sobre o tema.

Sites confiáveis para pesquisa:

www.webgeo.net.br

https://www.infoescola.com/geografia/populacao-da-asia/

 


Ásia é o maior continente do planeta, ocupando 1/3 das áreas emersas, e o mais populoso, com 60% da população mundial em seus territórios. A população da Ásia está concentrada no litoral do sul e extremo oriente, mais precisamente nos litorais chinês, indiano e japonês. Um território tão vasto e uma população tão grande acabaram por gerar ao longo de sua história uma grande diversidade étnica e cultural.

A Ásia é um continente de contrastes, sendo o continente que mais cresce e, abrangendo três das maiores economias do mundo (japonesa, chinesa e indiana) ainda tem a maioria de sua população vivendo nos campos, utilizando técnicas rudimentares de cultivo e pastoreio. A exceção são países que possuem um grande desenvolvimento na área tecnológica e educacional, além de uma intensa atividade industrial e que, portanto, possuem uma população majoritariamente urbana, como é o caso de Japão, Israel e Coreia do Sul.

China é o país mais populoso do mundo, com cerca de 1.357.000.000 habitantes, e apresenta uma intensa concentração populacional no litoral. Possui uma população aproximada de um bilhão e quatrocentos milhões de habitantes – com 92% pertencente à etnia Han. A região oeste contém áreas desérticas e montanhosas, enquanto o leste chinês possui forte industrialização, o que atrai a população. Em 2012, tendo 49% da população agrária, a China vem realizando uma transição populacional do campo para as cidades. Devido ao intenso crescimento populacional, o governo chinês instituiu programas de controle de natalidade. Os programas foram efetivos, mas trouxeram dois grandes problemas. O envelhecimento da população cria uma pressão previdenciária, na medida em que os trabalhadores se aposentam e restam menos pessoas em idade ativa. A preferência por filhos do sexo masculino também desequilibrou a demografia no país.

A Índia é o segundo país mais populoso do mundo e apresenta uma distribuição desigual da população, concentrada principalmente nos litorais sul e nordeste. Com uma população aproximada de 1.300.000.000 de habitantes, o país deve ultrapassar a China nos próximos anos. Com 68% de sua população vivendo em áreas rurais, a população indiana cresceu principalmente a partir da década de 1960, com o avanço da medicina. As taxas de natalidade têm se mantido estáveis desde então. A Índia ainda sofre com graves problemas de desnutrição e falta de saneamento básico, principalmente nas áreas rurais.

 A preferência por filhos homens acarretou, assim como na China, uma balança demográfica desigual. O governo indiano tem feito campanhas de controle familiar, de forma a diminuir a pressão populacional.

Em contrapartida, há no continente países com populações numericamente menores, como Jordânia (seis milhões de habitantes) e Líbano (4 milhões). A distribuição populacional também é um fator de grande contraste, com algumas regiões extremamente povoadas e outras que constituem imensos vazios populacionais. Enquanto Bangladesh, por exemplo, possui o impressionante índice de cerca de 1.154,74hab./km², a Mongólia, por sua vez, apresenta uma densidade demográfica de 2hab./km² e o Cazaquistão, 6hab./km².

Existe também uma grande disparidade nas condições de vida das populações asiáticas, por consequência das desigualdades socioeconômicas entre os países. Enquanto o Japão e a Coreia do Sul têm baixíssimas taxas de mortalidade infantil e ótimos índices de expectativa de vida e renda per capita, países como o Afeganistão e Bangladesh estão entre os mais pobres do mundo.

As principais religiões professadas na Ásia são o Budismo, no extremo oriente, o Hinduísmo, na Índia e o Islamismo, no Oriente Médio e centro da Ásia. As principais línguas faladas são o inglês e hindi, na Índia, o mandarim, na China, o japonês, no Japão, e o árabe, no Oriente Médio.


ÁGUA NO PLANETA TERRA

 GEOGRAFIA – 6º ANO – ÁGUA NO PLANETA TERRA

 

Orientação: Leia o material com atenção e cole em seu caderno – Não é necessário devolver na escola

Objetivo: Identificar as principais características relacionadas a água no planeta Terra, bem como sua distribuição.

Fontes de consulta para este material:

https://brasilescola.uol.com.br/geografia/distribuicao-agua-no-mundo.htm

www.webgeo.net.br

Distribuição da água no mundo

 


É comum que muitas pessoas, ao observar o planeta Terra, considerem que ele seja, na verdade, um “planeta Água”, uma vez que a sua superfície é composta, em maior parte, por essa substância. No entanto, se observarmos o seu volume, talvez o mundo que habitamos não mereça essa consideração, uma vez que o interior da Terra, além de água, possui uma grande quantidade de magma em diferentes níveis de temperatura, consistência e densidade.

No entanto, quando falamos de água, falamos de um dos elementos que tornam o nosso planeta único perante os mundos atualmente conhecidos por nós no universo, uma vez que é a sua disponibilidade na forma líquida em abundância o principal fator para a existência da vida por aqui.

distribuição da água no mundo pode ser observada a partir da composição dessa substância. Assim sendo, esse recurso pode aparecer de forma salgada – presente nos oceanos, mares e alguns lagos – e doce, referente à água que não possui uma grande densidade de sal em sua composição. Essa última, que é a própria para consumo humano, pode apresentar-se ainda em diversas subdivisões. No gráfico a seguir, temos um panorama explicativo sobre essa organização didática:


Gráfico da distribuição da água na biosfera terrestre.

No que se refere, portanto, à distribuição da água na biosfera terrestre, podemos perceber que a maior parte da água existente no mundo é salgada (97%) e está concentrada principalmente nos oceanos e mares, mas também presente em alguns lagos salinos, tais como o Mar de Aral e o Mar Morto. Essa água não costuma ser muito utilizada para consumo ou em atividades de irrigação e abastecimento, exceto em locais onde são aplicadas técnicas de dessalinização da água, que, embora útil para alguns países, ainda não apresenta uma completa eficiência.

Os outros 3% restantes são formados pela água doce, e boa parte deles é própria para consumo. No entanto, desse total, quase 70% encontram-se em calotas polares, sendo inviáveis para a exploração e utilização. As águas subterrâneas (29% da água doce), por sua vez, são a principal fonte de captação de recursos hídricos no mundo, apresentando-se nos lençóis freáticos e aquíferos, tais como o Aquífero Guarani e também o Aquífero Alter do Chão, que possuem a capacidade de absorver e filtrar a água. Já os rios e lagos correspondem a apenas 0,9% de toda a água potável disponível no mundo.

Se falarmos, então, da distribuição da água doce própria para consumo entre as diferentes partes da superfície terrestre, ou seja, entre as diversas localidades, podemos notar como essa distribuição é naturalmente desproporcional. As Américas, juntas, reúnem 41% de todos os recursos hídricos disponíveis, seguidas pela Ásia – maior e mais habitado continente – com 30%, pela África com 10%, depois a Europa com 7%, a Oceania com 5% e a Antártida com 5%.

É válido lembrar que, no interior dessas massas continentais, também existem disparidades, de forma que algumas áreas apresentam problemas de escassez hídrica, tais como o norte da África, o Oriente Médio, o Sul da Ásia e algumas outras regiões do planeta. Tal fator agrava-se com a poluição de rios e reservas subterrâneas, além do esgotamento dos demais elementos que mantêm o equilíbrio natural do planeta.


Material de Leitura – BNCC e mudanças na Geografia

 

Material de Leitura – BNCC e mudanças na Geografia

 

BNCC e mudanças na Geografia – Material de leitura – 4º ano - Não há necessidade de devolver, cole em seu caderno e use para estudar!

 

Objetivo central: Identificar questões norteadoras da BNCC para a disciplina de Geografia no primeiro segmento do Ensino Fundamental.

 

Olá, pessoal!

Importante que o texto desta semana deixado pelo professor seja utilizado para acompanhar a linha de raciocínio do conteúdo abaixo! Boa sorte, e lembre de deixar o material colado em seu caderno!

 

·         Site com este material na íntegra:

https://novaescola.org.br/bncc/conteudo/78/bncc-de-geografia-incentiva-nova-forma-de-ler-o-mundo

 

BNCC e mudanças na Geografia

Com a BNCC, a Geografia é incorporada desde os anos iniciais do Ensino Fundamental, uma mudança estrutural importante da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Na nova abordagem proposta pelo documento, a ênfase recai sobre o pensamento espacial e o raciocínio geográfico. Para se aproximar dos objetivos de aprendizagem, o professor também precisa se apropriar de conteúdos procedimentais. 

“A Base reforça a ideia da Geografia como um componente importante para entender o mundo, a vida e o cotidiano. Desenvolver nos estudantes o raciocínio geográfico, articulando alguns princípios, significa dotá-los de mais uma forma de perceber e analisar criticamente a realidade”, afirma a professora Sônia Castellar, da Universidade de São Paulo (USP).

A BNCC traz novas dimensões para a realização dessa leitura de mundo. “Antes, o estudo do componente estava mais pautado na leitura, na interpretação da paisagem e em um aluno mapeador consciente. Agora, volta-se mais para estimular um pensamento espacial, atrelado ao raciocínio geográfico”, explica a professora Thiara Vichiato Breda, doutora em Ciências pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e professora na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

 

Pensamento espacial e raciocínio geográfico: o que são?


Os dois conceitos citados pela professora, 
pensamento espacial e raciocínio geográfico, perpassam as cinco unidades temáticas que estruturam o componente. Essas cinco unidades também são subdivididas em objetos de conhecimento e habilidades (objetivos de aprendizagem). Elas permeiam toda a Base e são organizadas em uma construção progressiva dos conhecimentos geográficos, trabalhando os objetivos e conteúdo a partir de diferentes linguagens.

 

 


As cinco unidades temáticas são: 

1.O sujeito e seu lugar no mundo

2.Conexões e escalas

3. Mundo do trabalho

4. Formas de representação e pensamento espacial

5. Natureza, ambientes e qualidade de vida


Na prática...

 

Ao observar fenômenos planetários, de base natural, como abalos sísmicos ou mudanças climáticas, e até mesmo de base social, como um desmoronamento ocasionado pelo desmatamento das encostas, o estudante deve ter a curiosidade de entender por que aquilo acontece. É preciso estimular as crianças e jovens a pensarem de que forma o acontecimento presente está relacionado com outros ao longo do tempo: como a questão de causalidade, e com a localização, como as condições geográficas.

“É articulando esses princípios citados na BNCC que os estudantes vão emprestar sentido e lógica aos conteúdos com os quais já estavam habituados a relacionar-se”, explica o professor Laércio Furquim, consultor no Time de Autores de NOVA ESCOLA. Nessa nova perspectiva, os conteúdos não devem ser aprendidos de forma descontextualizada, mas entendidos como parte de um processo.

O especialista ressalta que a aplicação dos princípios desse raciocínio, em sala de aula, também vão preparar o estudante para perceber e questionar tudo o que se materializa no espaço. Se perguntarmos porque algo está exatamente ali, naquelas coordenadas, será necessário pesquisar processos e identificar para que e para quem servem esses objetos construídos. O mesmo vale para locais onde não há construção. Por que não se construiu ali? Quem se beneficia desse “vazio”?

A ideia que está por trás da Base é a de que os estudantes se desenvolvem aprendendo a olhar o espaço por onde passam e vivem, captando informações diversas por meio das paisagens e dos lugares em que transitam. “Os estudos de solo, de relevo, de vegetação e de clima são importantes para entender o espaço geográfico e as formas de organização da vida. Mas é fundamental que o estudante compreenda que o espaço geográfico é constituído e configurado pelas relações entre a humanidade e a natureza, algo que a aplicação dos princípios geográficos vai facilitar”, afirma o assessor educacional.

 

Lista de exercícios – Desenvolvimento da China e relação com o Socialismo

 

Lista de exercícios – Desenvolvimento da China e relação com o Socialismo

 


Desenvolvimento da China e relação com o SocialismoLista de exercícios – 3º ano - Não há necessidade de devolver, cole em seu caderno e use para estudar!

Objetivo central: Compreender o processo de desenvolvimento da China e relação com o Socialismo

 

Olá, pessoal!

Importante que o texto desta semana deixado pelo professor seja utilizado para acompanhar a linha de raciocínio dos exercícios abaixo! Boa sorte, e lembre de deixar o material colado em seu caderno!

 

1-Mediante aos nossos estudos sobre o tema, por que a China é considerada extremamente vinculada às políticas comunistas/socialistas da ex-URSS?

R:__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

2-De acordo com o material disponibilizado, como a China se organizava socialmente?

R:__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

3-De acordo com o material disponibilizado, quais são as principais características da política, cultura e economia da China atual? O que mudou para a fase de profundos laços com a ex-URSS?

R:__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

4- De acordo com o material disponibilizado, aponte os principais pontos de condução da China atual geram atritos com a política praticada por grandes nações capitalistas como os EUA.

R:__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Lista de exercícios – Introdução ao Império Bizantino

 

Lista de exercícios – Introdução ao Império Bizantino

 


Império Bizantino – Lista de exercícios – 1º ano - Não há necessidade de devolver, cole em seu caderno e use para estudar!

 

Objetivo central: Identificar questões sociais e estruturais que envolvem o Império Bizantino.

 

Olá, pessoal!

Importante que o texto desta semana deixado pelo professor seja utilizado para acompanhar a linha de raciocínio dos exercícios abaixo! Boa sorte, e lembre de deixar o material colado em seu caderno!

 

1-Mediante aos nossos estudos sobre o tema, por que o Império Bizantino foi considerado extremamente desenvolvido e marcou a história humana no planeta?

R:__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

2-De acordo com o material disponibilizado, como o Império Bizantino se organizava socialmente?

R:__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

3-De acordo com o material disponibilizado, quais eram as principais características da religião e cultura no Império Bizantino?

R:__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

4- De acordo com o material disponibilizado, aponte os principais pontos das condições naturais do Império Bizantino?

R:__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

 

segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Você sabe onde fica o ponto nemo da Terra?

Fonte da matéria: https://www.megacurioso.com.br/estilo-de-vida/109545-conheca-o-lugar-mais-isolado-do-mundo-o-ponto-nemo.htm

Todos vivemos dias em que tudo parece irritar e o desejo é se manter afastado de qualquer convívio social. A princípio, a vontade é de se manter na cama com a porta trancada, mas mesmo assim alguém pode vir e bater na porta. A melhor forma de se isolar seria ir para um dos lugares mais inóspitos da Terra, mas onde exatamente?

Quando falamos dele, você pode se lembrar do filme da Pixar, mas o Ponto Nemo é um dos locais mais inacessíveis de todo o planeta Terra. Seu nome na verdade tem origem no clássico livro de Júlio Verne, "20 Mil Léguas Submarinas", no qual o personagem principal se chama Capitão Nemo.

Meio do nada

Apesar de ser chamado de “Ponto”, não existe qualquer marcação ou pedaço de terra. E ele não é o único desse tipo no mundo — faz companhia a lugares no meio da China e da Antártica.

Durante a Volvo Ocean Race, mais antiga regata do mundo e que acontece a cada 3 anos, os velejadores passam próximo ao Ponto Nemo, enquanto se deslocam entre Auckland, na Nova Zelândia, e Itajaí, no litoral catarinense. Em outra ocasião, o barco mais rápido que já chegou ao local levou pouco mais de 15 dias e, ao alcançar o objetivo, o ser humano mais próximo deles estava na Estação Espacial Internacional.

Ao se aproximar dele, os locais com terra firme mais acessíveis estão a meros 2.688 quilômetros de distância, bem mais do que os 416 quilômetros acima do nível do mar que a Estação Espacial orbita a Terra. As opções de parada em caso de emergência são as Ilhas Picárnias, território ultramarino britânico, a Ilha de Páscoa, Moto Nui, ou a Ilha de Maher, na Antártica. Dentre as opções, a melhor seria a ilha chilena, já que ela possui mais estrutura.

A determinação exata do local aconteceu em 1992, quando o engenheiro croata-canadense Hrvoje Lukatela utilizou um programa geoespacial capaz de traçar o Ponto mais distante entre três costas.

Triste realidade

Por conta de seu isolamento, a região é sempre utilizada como um “lixão” espacial, onde diversos países procuram lançar seus detritos espaciais, visto que as chances de atingir uma pessoa ou um navio são ínfimas.

Aliado a isso, o Ponto fica no meio do giro do Pacífico Sul, caracterizado por uma enorme corrente oceânica que acontece entre a Austrália, a América do Sul, a linha do Equador e a forte corrente circumpolar Antártica. Essas condições fazem com que não exista um fluxo de água na região, deixando a temperatura em torno dos 7 °C. A distância acentuada de terra firme impede que até o vento consiga levar matéria orgânica ao local, tornando o Ponto uma das regiões com menor atividade biológica do planeta.

Infelizmente, um estudo realizado em 2013 detectou uma grande quantidade de lixo no centro do giro do Pacífico Sul, a 2,5 mil quilômetros do Ponto Nemo. A corrente aprisiona o material, constituído basicamente por plástico carregado de regiões costeiras ou liberado por navios, que acaba fragmentado em pequenos pedaços.

Situações como essa deveriam alertar as autoridades sobre o problema da poluição nos oceanos. Se nossos detritos foram capazes de chegar a um ponto tão isolado, medidas para que o lixo seja descartado de forma consciente precisavam ser tomadas para que possamos viver em harmonia com a natureza.

domingo, 20 de setembro de 2020

Problemas urbanos (Continuação) – Material de leitura

 Problemas urbanos (Continuação) – Material de leitura

 


Introdução a urbanização brasileira – 7º ano - Não há necessidade de devolver, cole em seu caderno e use para estudar!

Objetivo central: Identificar principais problemas urbanos do Brasil.

 

Fontes confiáveis utilizadas para a construção do texto:

 

Problemas relacionados à moradia no Brasil

 


As moradias precárias, como as favelas, são acompanhadas pela ausência de infraestrutura. Para o crescimento de qualquer cidade se faz necessária a expansão de todo serviço público, como distribuição de água, rede de esgoto, energia elétrica, pavimentação, entre outros.

As áreas urbanas onde vivem as famílias pobres, geralmente, são desprovidas de escolas, postos de saúde, policiamento e demais infraestruturas. Em geral, favelas e demais bairros marginalizados surgem de modo gradativo em áreas de terceiros, especialmente do governo. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os oito municípios detentores do maior número de favelas são: São Paulo, com 612; Rio de Janeiro, com 513; Fortaleza, 157; Guarulhos, 136; Curitiba, 122; Campinas, 117; Belo Horizonte, 101; e Osasco, 101.

Favela em Florianópolis, Santa Catarina.

 

No início do século XX existiam no Rio de Janeiro e, posteriormente, em São Paulo os cortiços, habitações que abrigavam várias pessoas, os quais eram constituídos por muitos cômodos alugados. Os cortiços eram velhas mansões que se localizam próximas ao centro da cidade.

Hoje, a alternativa de moradia para as pessoas carentes é a ocupação de terrenos periféricos de grandes cidades, onde o valor é baixo. Isso é provocado pelo fato dos moradores possuírem pequeno poder aquisitivo, desse modo, não podem pagar um aluguel em um bairro estruturado e muito menos adquirir uma casa ou apartamento nele. Além disso, nas grandes cidades os imóveis têm alcançado valores extremamente elevados, distantes da realidade de grande parte da população.
Naturalmente, a configuração das grandes cidades brasileiras é excludente, tendo em vista que marginaliza um grupo social desfavorecido, enquanto em algumas periferias formam-se bairros dotados de luxo, os condomínios fechados - que se constituem como verdadeiros guetos. Resultado de uma nação capitalista.

 


As favelas estão presentes em diversas cidades brasileiras.

Material de Leitura – Construção de planos de aula na disciplina de Geografia

 

Material de Leitura – Construção de planos de aula na disciplina de Geografia

 

Planos de aula na disciplina de Geografia – Material de leitura – 4º ano - Não há necessidade de devolver, cole em seu caderno e use para estudar!

 

Objetivo central: Identificar questões sociais e estruturais relacionadas a construção de planos de aula na disciplina de Geografia.

 

Olá, pessoal!

Importante que o texto desta semana deixado pelo professor seja utilizado para acompanhar a linha de raciocínio do conteúdo abaixo! Boa sorte, e lembre de deixar o material colado em seu caderno!

 

·         Exemplo de plano de aula elaborado com itens indispensáveis para o bom desenvolvimento de uma aula da disciplina de Geografia: https://novaescola.org.br/plano-de-aula/5358/o-local-onde-vivo

·         Site com estratégias eficientes na construção de planos de Geografia:

https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/geografia.htm

 

ESTRATÉGIAS EFICIENTES NA CONSTRUÇÃO DE PLANOS DE GEOGRAFIA

A maioria dos alunos não demonstra interesse em aprender Geografia, em muitos casos os mesmos se preocupam com o português devido às maiores dificuldades. Além disso, é visto por parte dos educandos como uma aula chata, nessa perspectiva se faz necessário que o professor de Geografia busque alternativas pedagógicas que ofereçam atrativos.

No caso da Geografia são diversos os mecanismos que podem ser usados nesse processo, a seguir algumas dicas que provavelmente servirão para dinamizar e alcançar objetivos satisfatórios.


• Iniciar a aula fazendo uma introdução do assunto a ser abordado e dos objetivos a serem alcançados.

• Relembrar o assunto da aula passada para que haja uma ligação entre os conteúdos.

• A utilização de transparências, vídeos, jornais, revistas e músicas são importantes instrumentos para a fixação de conteúdo.

• Incentivos à leitura, uma vez que a mídia tomou o lugar da mesma, e realização de trabalhos Dirigidos em Grupo.

• O provimento de aulas de campo, conhecidas como atividade extraclasse, fornece um grande potencial para a aprendizagem, pois se trata da prática, do real, da experiência.

 

Essas são algumas das possibilidades que o professor dessa fantástica ciência pode utilizar como ponto de partida para a composição das aulas. No entanto, o que vale mesmo é a criatividade do professor, uma vez que cada um possui um estilo próprio e não existe uma maneira padrão de se ensinar.

Material de Leitura – Desenvolvimento da China e relação com o Socialismo

 

Material de Leitura – Desenvolvimento da China e relação com o Socialismo

 


Desenvolvimento da China e relação com o Socialismo – Material de leitura – 3º ano - Não há necessidade de devolver, cole em seu caderno e use para estudar!

Objetivo central: Compreender o processo de desenvolvimento da China e relação com o Socialismo

 

Olá, pessoal!

Importante que o texto desta semana deixado pelo professor seja utilizado para acompanhar a linha de raciocínio do conteúdo abaixo! Boa sorte, e lembre de deixar o material colado em seu caderno!

 

Sites confiáveis utilizados para elaboração deste texto e para pesquisa:

·         www.webgeo.net.br

·         https://www.infoescola.com/economia/economia-da-china/

 

A economia chinesa – Relações diretas com o Socialismo soviético e o capitalismo internacional


economia chinesa experimentou, a partir da década de 70, depois de passar séculos dependendo quase inteiramente de seu setor agrícola e de experimentar as mudanças (trazidas pela revolução comunista de Mao Tse Tung), um grande crescimento econômico, o país se abriu ao investimentos estrangeiros, após a chegada ao poder de Deng Xiaoping em 1979. As autoridades chinesas propuseram quintuplicar o PIB até o ano 2000 (fato alcançado em 1995), mediante uma abertura econômica e com a introdução da chamada Economia Social de Mercado.

O meteórico desenvolvimento da economia chinesa não está isento de um alto custo social e ambiental para o país. A principal estratégia competitiva do governo para atrair os investimentos estrangeiros tem sido oferecer pacotes de incentivos fiscais e um marco regulador frouxo em termos de direitos laborais e de proteção ambiental, que, aliado ao baixo custo de investimento inicial e à mão de obra barata, fizeram da China o principal destino de investimentos estrangeiros em nível mundial. Por estes motivos, uma grande quantidade de empresas transnacionais com pouca ética têm se aproveitado da situação (e da censura oficial aos meios de comunicação) para operar sob baixas condições de higiene, segurança laboral ou controle de emissão de poluentes (a China é o 2º país que mais polui, ficando somente atrás dos Estados Unidos).

Segundo dados de 2007, o PIB chinês ultrapassou os dez trilhões de dólares e o PIB per capita ficou em 5.300 dólares. A taxa de crescimento real da economia daquele país foi de 10,7%. A taxa de desemprego ficou em 4,2% e a inflação foi de 1,5%. As exportações da China somaram 974 bilhões (seus principais destinos foram Hong Kong, Japão, Coréia do Sul e Alemanha) e as importações alcançaram 778 bilhões de dólares (seus principais fornecedores foram: Japão, Coréia do Sul, Taiwan, EUA e Alemanha).

Dentre os produtos produzidos pela China podemos destacar a mineração (petróleo, chumbo, fosforito, tungstênioantimôniomanganêsmolibdênio, manganês, estanho, carvão, zinco, minério de ferro e bauxita), a pecuária (aves, ovinos, caprinos, suínos, bovinos, eqüinos, camelos e búfalos), o setor industrial (siderurgia, equipamentos eletrônicos, têxtil, automotiva, fertilizantes químicos, alimentos processados, telecomunicações, construção) e produtos agrícolas (arroz, milho, soja, cana-de-açúcar, tabaco, milho, batata, batata-doce, legume e verduras). Apenas 7% do território chinês estão em condições de serem utilizados para a agricultura.