segunda-feira, 16 de maio de 2022

Salve as abelhas!

As abelhas são fundamentais para garantir a existência de grande parte dos alimentos que chegam à nossa mesa e o mel está longe de ser a grande contribuição desses insetos para a humanidade. Sem as abelhas, metade das gôndolas de alimentos dos supermercados fica vazia. Por meio do seu árduo trabalho de polinização, as abelhas promovem o seu maior impacto na biodiversidade e na produção dos alimentos: 35% das lavouras e 94% das plantas silvestres dependem delas.

serviço ecológico promovido pelas abelhas, no entanto, está diminuindo drasticamente a cada ano e vários são os fatores que têm contribuído para isto. São eles:

- As abelhas estão perdendo seu habitat quando florestas e jardins dão lugar a construções ou mesmo a plantações de uma única cultura - a espécie necessita de alimentação variada para sobreviver.
- As intensas mudanças climáticas pelas quais passa a Terra, em consequência do aumento da emissão de gases do efeito estufa pelo homem, também colaboram para o desaparecimento dos insetos.
- As estações menos definidas, além das elevações e quedas bruscas na temperatura e na umidade, acabam por bagunçar o ciclo de florescimento das flores, das quais as abelhas são dependentes.

O resultado de tamanha desordem? Menos comida nas mesas de pessoas em todo o mundo. É grande o desastre econômico por qual passarão vários países, entre eles os Estados Unidos, maior exportador agrícola do mundo, que perderiam 15 bilhões de dólares por ano com a intensificação do problema. Não é à toa que este país, em 2014, transformou o problema  em questão de Estado, recrutando pesquisadores e cientistas para irem atrás das respostas e possíveis soluções.

Infelizmente não há como prever no Brasil o tamanho do desastre, visto que não há por aqui registros que apontem números precisos de populações de abelhas em território nacional em tempos passados. Sabe-se, no entanto, que diferente de outros países, estima a existência de pelo menos 250 tipos de polinizadores em todo o território brasileiro, dos quais 87% são de abelhas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui...